Prefeitura Municipal de Castelandia - 11/04/2019
O CRAS juntamente com Psicólogos, Conselheiros Tutelares e Redes Escolares realizaram na última quinta-feira (11/04) palestra sobre Bullying e Mutilação na Câmara Municipal.
Publicado por: Kardillis Araújo Castro

LOADING IMAGES

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) José Justino Neto, em parceria com as redes escolares, realizaram nesta quinta-feira (11/04) na Câmara Municipal uma palestra com a participação de psicólogos, professores, conselheiros tutelares, pais e alunos. O foco principal do evento foi à conscientização sobre a prática e os resultados do Bullying, sendo este a Mutilação.

O evento iniciou com uma apresentação musical muito emocionante das crianças do Grupo Madres do Pai, da Igreja Jardim América. Durante a palestra foi pregado o respeito e amor ao próximo, abordando da melhor forma possível, pois havia tantos alunos da Rede Municipal como também da Rede Estadual. Os psicólogos (Larissa Fernandes Toledo e Valdir Barbosa da Silva Júnior) souberam conduzir muito bem a palestra, sempre interagindo e deixando o ambiente confortável às crianças para expor suas opiniões. Alguns tópicos em específicos foram abordados, tais como: A definição de Bullying e seus tipos; As formas que os alunos praticam o Bullying; As suas consequências psicológicas e físicas; Outras consequências, como sendo a Queda de Rendimento e Evasão Escolar e o Cyberbullying.

Os palestrantes também falaram sobre como agir e perceber casos de Bullying. Pais e professores são os mais aptos a perceber os sinais de que uma criança está sofrendo Bullying já que, em geral, a própria não externa o seu problema para os demais. Deve-se estar atento a mudanças de comportamento da criança, falta de vontade de ir à escola, perda de interesse nos estudos e reações exageradas quando confrontadas com a iminência de encontrar com seu agressor.

Durante estudos psicólogos explicam que, os autores de agressões contra colegas também apresentam problemas a serem tratados. Na maior parte das vezes, estas crianças vivem em um ambiente familiar tumultuado (sem a presença de um ou ambos os genitores), não têm limites impostos pelos responsáveis e têm necessidade de autoafirmação e de angariar popularidade entre os colegas. Por conta disso, autores de Bullying também devem receber atenção especial da escola e, em muitos casos, acompanhamento psicológico.

As redes escolares, o CRAS, os conselheiros tutelares, pais e alunos, agradecem o empenho dos palestrantes (Larissa Fernandes Toledo e Valdir Barbosa da Silva Júnior) em esclarecer e conscientizar as crianças, adolescentes e pais sobre este assunto que muitas das vezes passa em branco dentro das escolas, buscando evitar possíveis fatalidades, como o ocorrido em Suzano-SP.

Autor: Kardillis Araujo Castro